FEITO É MELHOR QUE PERFEITO

Feito é Melhor que Perfeito. Por que?

“Feito é melhor que perfeito”, mas o que essa frase realmente quer dizer?

Bem, na verdade, quando dizemos que “feito” é melhor que perfeito, isso indica que “perfeito” não está feito. Porque se estivesse feito, então com certeza perfeito seria melhor que apenas feito.

Portanto, o verdadeiro sentido dessa frase é o seguinte: “Feito é melhor que perfeito mas não feito”.

 

100% não existe

Qualquer profissional que se preze sente a necessidade de entregar um trabalho de qualidade e dentro do prazo. O problema é que, para o perfeccionista, não existe contentamento com um trabalho bem feito. Ele tem que ser impecável, perfeito. E isso não existe – e nem vai existir. Por mais que o trabalho seja revisto, editado ou mesmo descartado e recomeçado do zero, na hora em que o perfeccionista parar e analisar o seu conteúdo, ele continuará achando imperfeições e acreditando que o que tem em mãos não é o suficiente. E esse ciclo não se rompe.

 

Queda na produtividade

Quando o seu perfeccionismo mais atrapalha do que ajuda, está na hora de analisar a sua relação com o trabalho.

Se por um lado almejar a perfeição faz com que nos dediquemos mais ao trabalho, tal meta também pode paralisar a sua produtividade. Na lógica perfeccionista, todo e qualquer detalhe merece atenção, mesmo que, na prática, isso não seja verdade. Isso faz com que a pessoa não consiga cumprir suas tarefas, muito menos seus prazos, que precisam sempre ser reformulados para poder dar “um último retoque” no projeto. Delegar tarefas? Jamais! O trabalho em equipe pode ficar extremamente prejudicado, já que as produções dos outros também não irão se encaixar no padrão de qualidade irreal que se quer alcançar.

 

Vire o jogo!

O perfeccionismo é considerado uma patologia psicológica, o que demonstra que as suas raízes podem ser muito mais profundas do que uma simples “característica” da personalidade. Mas é possível, com paciência e dedicação, se livrar de tanta crítica, trabalhando mais e melhor.

Faça o melhor que puder dentro do tempo que tiver: ter prazos estipulados é uma das melhores formas de não se perder com as entregas dos trabalhos e conferir, com realismo, tudo o que foi feito. Se o desejo é sempre poder apresentar um projeto extremamente bem feito, se concentre na sua produção dentro do prazo estipulado. Feito é melhor do que perfeito.

Priorize: pequenos detalhes podem ser a perdição dos perfeccionistas. Seja racional e avalie se você está se agarrando aos pormenores que não terão tanta influência assim no resultado final. Não descuide do todo para trabalhar demasiado nas pequenas partes.

Aceite os elogios e elogie-se: o perfeccionismo nos leva a colocar como meta um padrão tão alto (e irreal), que deixamos de perceber nossas habilidades e o quão bom somos no que fazemos. Aceite os elogios dos seus colegas e gestores – muito provavelmente eles têm razão. Se dê esse reconhecimento também e tenha em mente que o resultado do seu trabalho é a soma de todos os seus esforços e cuidados para uma boa apresentação. Perceba o seu melhor naquilo e sinta-se realizado.

Se você tentar fazer algo perfeito, talvez nunca termine.

Feito é melhor que perfeito.

Eu escrevi um post sobre a importância de se ter foco, Saiba Onde Quer Chegar , muitos se ficam perdidos sem saber o que fazer ao iniciar um projeto.

Rodrigo Santana

 

Comments

comments

Rodrigo

Website: